Em breve nova data !
Junte-se às milhares de pessoas que já participaram
da maior feira de logística da região de Jundiaí
Conheça a feira e participe

Cabotagem é oportunidade diante da crise

Para Luiza Bublitz, modal ajuda a tornar a logística mais eficiente, além de reduzir custos.
EM 06/11/2015 POR Guia Marítimo

Trazendo um cenário com mais oportunidades e menos custos, a cabotagem tem sido hoje uma opção muito mais viável para o mercado, que tem aceito o modal e utilizado ele de forma muito mais pontual. “É uma conquista bem interessante e o mercado reconhece isso e confia na cabotagem, confia na pontualidade. Esse é o reflexo da melhora do serviço e da melhora no modal, deixando ele cada vez mais sustentável”, explica Luiza Bublitz, Diretora de Vendas da Mercosul Line.

Para a executiva, o modal é sim uma oportunidade diante da crise vivida. “A cabotagem é um modal mais eficiente em distâncias superiores a 2 mil quilômetros, traz vantagens na cadeia logística, é mais segura, limpa e tem menos incidência de roubo. Então, sem dúvida é uma forma de tornar mais eficiente essa logística, reduzindo o custo que hoje, é um dos principais entraves para todas as indústrias brasileiras e com isso tornar o produto mais competitivo”, expõe a executiva.

Para ela, a chegada, por exemplo, dos novos terminais no Porto de Santos, traz investimentos, além dos já feitos pelos mais antigos. “Hoje as operações são mais ágeis e isso é extremamente importante até para manter a pontualidade na programação de navios”, diz, ressaltando ainda que quanto mais for possível diminuir esses desperdícios que estão ao longo da operação, mais isso ajudará os clientes e a cadeia como um todo. A expectativa de Bublitz para 2015, no entanto, é terminar o ano com um volume em linha com o do ano passado. “Talvez algum crescimento marginal até uns 5%, algo nessa linha”, pondera.

Sobre investimentos, a executiva explica que esses fatores são sempre estudados de acordo com o melhor momento, fazendo uma comparação detalhada entre capacidade e demanda. “E nesse momento a gente ainda entende que a capacidade que atende a cabotagem, atende com folga a demanda. É um assunto que sempre está ativo na pauta, mas por enquanto não temos nenhuma perspectiva de aumento de capacidade ou qualquer coisa nessa linha”, finaliza.